Desmistificando a Prática de Meditação

August 15, 2016

Todos os dias me deparo com pessoas curiosas sobre o que é meditação. Algumas já leram um pouco sobre o assunto, outras só veem essa palavra cada vez mais em evidência na mídia e nas redes sociais.

Mas a verdadeira razão pela qual eu decidi escrever sobre o assunto, é que a grande maioria de alunos que me perguntam sobre o assunto, chegam nervosos e pessimistas, principalmente os que tentaram se inteirar um pouco mais antes de virem me perguntar.

 

 

A frase que eu mais escuto é: “Mas como eu faço para esvaziar a mente?”. Após essa frase eu consigo entender a frustração e o pessimismo deles e explico o que vou tentar explicar de forma clara nesse texto.

Existem livros e artigos maravilhosos sobre meditação, porém alguns materiais sobre o assunto na internet falam muito sobre seus benefícios e até dão exemplos inclusive de celebridades que meditam por mais de uma hora por dia, mas, são um pouco vagos sobre como a dinâmica acontece, principalmente para quem está começando a praticar ou ainda está começando a se interessar pelo assunto.

Meditar não é simplesmente sentar com as pernas cruzadas e expulsar os pensamentos da mente, pra não dizer que é impossível, eu diria que seria dificílimo! Se a pessoa não é acostumada a sentar no chão de pernas cruzadas então, será muito difícil afastar principalmente o pensamento “AI QUE DOR!”. – Em outra oportunidade, farei uma postagem ensinando movimentos para facilitar na hora de ficarmos sentados para meditar por períodos mais longos. Por enquanto, caso você não seja acostumado, pode iniciar sua prática mesmo assim, utilizando uma cadeira e sentando-se confortavelmente, com a coluna ereta.-

Precisamos ter em mente que meditar é uma prática, e para fazer jus a palavra “prática”, deve ser praticada para ser masterizada um dia. Como quando praticamos algum esporte, começamos aos poucos, com alguns minutos por dia e vamos aumentando a dose conforme vamos melhorando nossas habilidades.

O termo esvaziar a mente é mal interpretado pela maioria das pessoas, e acredito que muitas das pessoas que escrevem ou falam que devemos esvaziar a mente para meditar, interpretaram mal as instruções de algum mestre ou não praticam, apenas escrevem sobre o assunto.

Controlar os pensamentos é a mesma coisa que tentar capturar vento, é impossível, principalmente para quem está iniciando! Nossa mente é tagarela, está sempre nos bombardeando de pensamentos, preocupações e julgamentos. Não conseguimos simplesmente mandar ela parar. Porém, com o tempo, conseguimos adquirir serenidade e sabedoria para sermos observadores da mente e não escravos dela.

Passamos a ver os pensamentos como se estivéssemos sentados em uma estação de ônibus, observando-os chegar e sair sem entrar em nenhum deles, ou pelo menos decidimos se queremos ou não entrar, tendo consciência de onde ele irá nos levar. Vai chegar um momento em que cada vez menos ônibus irão passar por essa estação, ela vai ficar mais silenciosa e cheia de paz. A meditação, no entanto, não é apenas a parte em que tudo fica calmo e que os pensamentos diminuem a frequência e intensidade. Todo o percurso faz parte do processo, todo o percurso é meditação.

Não se preocupe se no início você se pegar “entrando em um ônibus”, se agarrando em um pensamento e se permitindo ir longe com ele. Quando se der conta de que fez isso, simplesmente retorne a atenção para a sua respiração, para a batida do seu coração, para a musica que está tocando ou para as sensações corporais que está sentindo, enfim, há diversas maneiras de desprender sua mente de um determinado pensamento.

Tente não se irritar com as travessuras da mente, ela quer estar no controle e cabe a você o esforço para não deixar. E não é tentando fazer ela se calar que você vai ganhar essa briga. Como uma criança malcriada, ela vai gritar cada vez mais alto, e o melhor a fazer é tratá-la como tal e não dar atenção a ela e apenas observar o que ela está tentando faze. Aos poucos ela vai diminuindo as tentativas de prender você. A tendência é que você comece a rir sozinho quando conseguir distinguir pelas primeiras vezes todos esse processo.

A minha dica é que você relaxe, não se pressione para conseguir ter um momento gratificante de meditação logo. O importante é que você comece, já aviso que não é tão fácil, mesmo com a receita escrita, na prática o processo é diferente para cada um. Mas ao mesmo tempo não é tão difícil assim, e parar de afirmar que você nunca vai conseguir já é um bom começo

Inicie com três ou cinco minutos diários, tentando apenas respirar o mais lenta e profundamente possível, inspirando e expirando pelo nariz e dirigindo o ar para a região abdominal primeiro, e após preenchendo a região torácica. Para expirar, faça o caminho inverso, esvaziando primeiro a região torácica e depois esvazie bem a região abdominal. Leve toda a sua atenção para a sua respiração e ao mesmo tempo observe as peças que sua mente vai tentando pregar enquanto você faz isso.

Aos pouco vá adicionando minutos e técnicas diferentes à sua prática, coloque uma música ou um mantra, crie um ambiente aconchegante e especial. E como eu já disse antes, não tenha pressa, aproveite o percurso, essa jornada é linda e merece ser apreciada desde o primeiro passo.

 

Boa sorte!

 

Namaste!

Rebeca Petry

Please reload

Posts Em Destaque

Bolo de Cenoura com Farinha de Aveia

July 18, 2017

1/1
Please reload

Posts Recentes

December 27, 2016